A Felicidade e o Poder no Ambiente de Trabalho

“O poder corrompe” já dizia Maquiavel em O Príncipe e “os fins justificam os meios”, é isso o que assistimos hoje na política em nosso País, como ações inadequadas, deste ou daquele político, ou seja, atingir o poder para sua satisfação pessoal sem ética ou respeito ao próximo, mas esta análise deixo para os Cientistas Políticos...

Na minha visão corporativa, ainda vejo empresas onde isso vale muito, no que tange exercer o poder como uma forma de satisfação pessoal, com práticas profissionais autoritárias de gestão.

Existem gestores que atingem posições elevadas na hierarquia das empresas, por sua formação, atributos e resultados, mas que utilizam métodos arcaicos de administração em seus times.

Fazem uso do Assédio Moral e exercem uma relação abusiva em seus colaboradores, geram desconforto no ambiente de trabalho, péssimo clima organizacional, aumento do presenteísmo, tournover, adoecimento e afastamentos por motivos de saúde.

Onde vale outra premissa de Maquiavel “é melhor ser temido que amado”, o gestor (me recuso a chamar de Líder), exerce seu poder de forma acintosa, que venham os resultados, independente da forma como são atingidos, o RH que resolva, apazigue a equipe, ou contrate outro... como o desemprego está em alta hoje, substituições são fáceis.

De acordo com Thich Nhat Hanh, as pessoas buscam através do poder político e financeiro, uma forma de atingirem a felicidade plena, mas que é simplesmente condicionada a fatores externos, por vezes seguem vias tortuosas e não medem as consequências disso. Onde seus anseios de poder são pautados na riqueza, na fama, uma verdadeira cegueira, que se sobrepõem a práticas positivas no ambiente de trabalho e na vida.

Esse autor, acredita que a verdadeira felicidade está dentro de cada um de nós, e, portanto, quando nos apercebemos e tomamos a consciência dela, temos o real poder para viver e conviver, seja na vida pessoal ou no trabalho.

Os cinco poderes da verdadeira felicidade, para ele devem ser atingidos e exercitados através da respiração e meditação, e são:

  1. O poder da fé

A melhor forma de traduzir fé é “confiança” e “convicção”, estes atributos dão o verdadeiro sentido para a vida, é definir os caminhos para realizar o que deseja. Transmitir certeza para os colaboradores é fundamental para que eles acreditem em você e para poder contar com eles.

  1. O poder da perseverança

Estimular aspectos positivos, conter os negativos, praticar o autocontrole, para as situações adversas, ira favorecer o desenvolvimento de um clima bom para o trabalho.

“As pessoas que possuem a energia da persistência são extraordinariamente poderosas porque podem se transformar a si mesmas e ajudar a transformar a comunidade, o meio ambiente e o mundo”(Thich Nhat Hanh).

  1. O poder da plena consciência

Manter a mente alerta, para poder fazer uma análise de contexto identificando as pistas e as evidencias do ambiente, permitirá as melhores tomadas de decisões. É enxergar os outros, estar em contato com eles, retornar a nós mesmos, se reconhecer vivo dentro de todo o processo.

  1. O poder da concentração

Este poder segue o anterior, manter o foco no que é essencial para suplantar as dificuldades, e assim atingir o discernimento necessário.

  1. O poder do discernimento

Tudo está em mudança, e cada vez num ritmo mais acelerado, o discernimento perpassa pelo aqui e agora, para chegarmos ao verdadeiro entendimento.

Atitudes coerentes e sensatas permitem maior respeito de si e daqueles a sua volta, portanto a maior coesão da equipe que é liderada, para atingir metas e objetivos.

A minha inspiração em escrever este artigo, é que apesar da evolução das técnicas administrativas, ainda temos muitos gestores que não promovem o crescimento de suas equipes, são profissionais embevecidos com o poder que o cargo lhe confere.

Aqueles que não acreditam nesse tipo de postura, sabem que a verdadeira felicidade, está na satisfação pessoal e no crescimento do outro.

“Quando você está repleto de entendimento e compaixão, tem bastante energia para servir, está plenamente vivo, muito ativo, e o seu trabalho, o seu filme, a sua história, o seu romance, o seu poema é uma expressão dessa mente desperta” (Thich Nhat Hanh- A arte do PODER).

 

Natalia Marques Antunes - Psicóloga Clínica, Especialista em Saúde Organizacional com Formação em Coaching (Life Self – Sistema ISOR)

 

 



O seu navegador não é recomendado para uma boa navegação neste site.
Para uma melhor visualização do site atualize-o ou escolha outro navegador.
Saiba mais...
Google ChromeMozilla FirefoxApple SafariOpera